Princesa do Baile da Meia Noite, de Jessica Day George

sábado, 16 de setembro de 2017

Princesa do Baile da Meia Noite, de Jessica Day George

Oi!!
Li esse livro faz uns anos e gostei bastante. Vendo as coisas para fazer esse post... ai... bateu uma vontade de ler de novo. Mas se eu começar sei que não vou querer parar mais e o tempo anda tão curto... 
Espero que gostem da postagem tanto quanto eu gostei do livro. <3

Sinopse
Princess of the Midnight Ball - Princesa do Baile da Meia NoiteUm conto de doze princesas condenadas a dançar até o amanhecer...

Voltando para casa da guerra, o jovem Galen encontra trabalho com a família de sua mãe dos jardins reais. Lá ele descobre que as doze filhas do rei têm um segredo: todas as noites elas dançam até seus sapatos virarem farrapos, mas ninguém sabe como ou porquê. Quando príncipe após príncipe tenta encontrar a resposta e falha, e a família é assombrada com acusações de bruxaria, Galen decide ajudar. Armado com um par de agulhas de tricô de prata e uma capa da invisibilidade dada a ele por uma estranha velha senhora, ele segue as princesas e descobre o segredo da maldição delas. (tradução livre de Goodreads - Princess of the Midnight Ball  e Jessica Day George - Princess of the Midnight Ball

Sobre o livro
Jessica Day George
Jessica Day George
Princesa do Baile da Meia Noite foi escrito por Jessica Day George e publicado em 2009 nos Estados Unidos. Como deve dar para imaginar pelo título, é uma adaptação do conto “As Doze Princesas Bailarinas”. Na verdade, na verdade é o primeiro livro de uma trilogia chamada “As Princesas de Westfalin” (The Princesses of Westfalin Trilogy) , mas se você é do tipo de pessoa que não gosta de séries, não se preocupe: cada livro tem uma história fechada em si. Os dois seguintes usam de background o que veio antes, mas cada história tem começo, meio e fim. 

Em 2013, veio a edição brasileira (ebaaaaa!), embora para ser sincera acho que a capa da edição original tem bem mais a ver com a história (e tem um vestidão bonito de princesa <3) ... Mas a capa nacional é fofinha também.

De onde veio a ideia
A autora conta que não se lembra exatamente do dia que decidiu escrever esse livro, mas se lembra de juntar anotações e contar pra todo mundo perto (marido, agente literário, editor) que ela escreveria um livro sobre um RAPAZ que TRICOTA [caixa alta usada pela própria autora em seu site]. Aliás, na casa dela isso não é estranho: o avô materno tricotava, um dos melhores amigos do marido também. E, bom, ela tricota “Eu tricoto como se minha vida dependesse disso, porque se minhas mãos não estão digitando, elas têm de estar tricotando ou eu vou enlouquecer com energia recolhida.”

Depois de escrever um livro de fantasia situado na Noruega (Sun and Moon, Ice and Snow, ainda não traduzido para o português, uma adaptação do conto East o’ the Sun, West o’ the Moon), ela resolveu que queria escrever um livro situado em um lugar semelhante à Alemanha, com alguém que tricotava e um jardim maravilhoso cheio de flores de todos os tipos. Com piadas, dança, uma senhora idosa misteriosa, doces e um monte de coisas boas. E 🚨 Alerta de spoiler 🚨 “E alguém, absolutamente, tinha de ser esfaqueado com uma agulha de tricô.” 🚨 Fim do spoiler 🚨

Coisas interessantes
Princesa do Baile da Meia Noite recebeu o prêmio Beehive Book Award for Young Adult Fiction em 2009Princesa do Baile da Meia Noite recebeu o prêmio Beehive Book Award for Young Adult Fiction em 2009 e o prêmio em Literary Awards South Carolina Book Award Nominee for Young Adult Book em 2011.

Além disso, não sei se já mencionei, mas a autora adora tricô. :P Não só parte dos ganchos da história envolve tricô como no fim do livro ela deixa a receita deduas peças chave: um xale e uma corrente.

Princesa do Baile da Meia Noite - receitas de tricô


Os outros dois livros da trilogia são Princess of Glass (algo como Princesa de Vidro) e Princess of the Silver Woods (algo como Princesa da Floresta de Prata), adaptações de Cinderela e Chapeuzinho Vermelho, respectivamente. Gostei muito desses dois também. Mais até do terceiro do que do segundo. Infelizmente, eles ainda não foram traduzidos para o português. O que é realmente uma pena.

Princess of Glass e Princess of the Silver Woods
Mais vestidões!
(Eu sei, minha criança interior está muito animada.)

Outras coisas interessantes
Walter von der Vogelweide calmamente  pensando em sua pedra
Walter von der Vogelweide calmamente
pensando em sua pedra.
O personagem Walter Vogel foi uma homenagem a um poeta do século XII chamado Walter von der Vogelweide, um dos favoritos do marido de Jessica Day George. E não foi só o nome que foi inspirado nele. A autora conta em sua página que em um dos poemas, ele está sentado em uma rocha pensando sobre o mundo. Não é por acaso que quando Galen encontra o Walter pela primeira vez, o jardineiro também está sentado em uma rocha pensando em que estado estava o mundo. 

E das entrevistas dela que andei lendo para montar esse post, eis minha citação preferida no Jean Book Nerd:

- Como você se descreveria em três palavras?
- Redheaded bookworm chocoholic. [ruiva, rato de biblioteca e chocólatra]
Tirando ruiva, super serve pra mim, rsrsrsrsr.

Resenhas e mais
No blog Tales Old as Time, tem uma resenha enorme e muito legal do livro (em inglês). Traduzi um trechinho para vocês:

“No fundo, esse é um livro sobre coisas que importam. Não é apenas contar uma história bonitinha sobre algumas princesas dançarinas. Não fica apenas na superfície da história. Realmente olha para os eventos que acontecem e realmente mergulha em porque esses eventos importam, não apenas para algumas princesas bailarinas, mas para o pai delas, o reino e o reino vizinho. Esse livro [...] dá ao conto de fadas um contexto e uma estrutura política, e em vez de mudar os acontecimentos que não encaixam para o que o autor quer que a história seja, Jessica Day George olha para os elementos que estão lá e encontra um jeito de fazê-los funcionar. Isso é o que faz esse livro tão bom.”

As Doze Princesas Bailarinas - The Red Fairy Book - Folio Society Lembram do Andrew Lang?
As Doze Princesas Bailarinas - The Red Fairy Book - Folio Society
Lembram do Andrew Lang?

Falando em resenhas, essas foram as duas que mais gostei entre as que li:



E como sempre, para os fãs do Skoob, seguem os links para colocar Princesa do Baile à Meia Noite - Skoob, ou Princess of the Midnight Ball - Skoob na estante.




E aí, o que acharam? Gostaram da ideia do livro? Gostam desse conto? Já leram Princesa do Baile da Meia Noite? Me digam nos comentários!





P.S. Além das fontes já citadas, outras informações para fazer essa postagem vieram de:

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Mesmo conhecendo a belíssima história das 12 princesas bailarinas, e não ter ludo o livro ainda, eu diria que ler as adaptações é, no mínimo, dar um salto numa piscina bem funda. Mas acho que fica melhor dizer que seria percorrer um rio de águas rasas e transparentes para desvendar os mistérios a frente.
    Sinceramente? Ótimo POST, adorei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! :D
      Quando puder, leia, sim, o livro é ótimo!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...