Resenha: Allegra: Antes do Play

sábado, 12 de maio de 2018

Allegra: Antes do Play

Sinopse:
O que Cinderela tem a ver com youtubers?
Allegra é uma figura peculiar: gorda, baixa, branquela e com um estilo retrô. Apesar disso, é o clichê da Cinderela: órfã de pai e mãe, mora com a madrasta Maura e suas duas filhas, Pam e Mel, que são tudo o que ela não é: altas, magras, lindas e negras. Para completar a imagem da gata borralheira, Allegra trabalha para as irmãs, editando seus vídeos para canal Be Twins no Youtube.

Estudante de Letras, Allegra sonha em se tornar escritora. Mesmo sua melhor amiga Verônica insistindo que ela deveria publicar suas histórias na Amazon, Allegra insiste em publicar tudo gratuitamente pelo Wattpad, porque não acredita que alguém pagaria para ler o que ela escreve. Um de seus leitores, com o pseudônimo de “Orfeu apaixonado”, começa a se corresponder com ela por email, e Allegra percebe que sua admiração extrapola sua escrita. Ela não pode negar que também acaba se interessando por ele, mesmo sem saber quem ele é.

Tudo muda no dia em que Allegra recebe um email de Orfeu, que chega através da conta de um canal do Youtube chamado Os MosqueteiroZ. Curiosa, ela descobre que o canal é mantido por três youtubers famosos – Darta, Fred e Constantin – e que um deles deve ser Orfeu. O problema é que eles acabam de lançar um concurso de vídeos, com o lema Seja sua melhor versão, concurso este que as irmãs pretendem ganhar a qualquer custo, o que inclui, se necessário for, dar em cima dos youtubers.

Título: Allegra: Antes do Play
Autora: Andreia Evaristo
Editora: Hope
Ano: 2016
Skoob: Allegra: Antes do Play
Citações: Allegra: Antes do Play



Eu sei, eu sei.... Eu falei que a ideia do Escrevendo Asas não era fazer resenhas. Mas as ideias iniciais mudam, certo? Estou planejando mais mudanças aqui para o blog (que devem demorar um pouquinho como sempre por causa do meu trabalho). Mas vou implementando algumas coisas já. :)

Para inaugurar a nova seção, temos uma rel
eitura nacional de contos de fada (Yeyyy!). Ao contrário de Cinder, pelo título não dá para associar a nenhuma história dos Irmãos Grimm (por sinal, eu já tinha ouvido falar desse livro várias vezes antes de descobrir isso). Mas basta dar uma espiada na sinopse para fazer aquele famoso ahhhhhhhh.

A História 

A autora Andreia Evaristo coloca Cinderela num cenário extremamente atual, com direito a Whatsapp, Skipe, Watpad e Netflix, para não dizer, óbvio, o YouTube, que é o pano de fundo do enredo.



A história começa com Allegra sendo explorada pelas irmãs e madrasta. Se você não tinha lido a sinopse e ainda não tinha descoberto qual conto de fadas estava sendo recontado, depois do carro de uma amiga que socorre Allegra ser cor abóbora, haver um prazo de até meia noite logo de cara e a frase "Não esqueça do horário, Cinderela", não tem mais erro. Rsrsrsrsrr


Allegra: Antes do Play
Pam e Mel (as irmãs) tem contas em to-das e-las.
(Piadinha interna para quem leu o livro, rsrs)

Pin up
Estilo pin up
Nesse releitura, as irmãs postiças são youtubers em busca de fama. E enquanto Mel e Pam têm contas em todas as redes sociais e adoram a exposição em todas elas, Cindere..., digo, Allegra é o oposto. Uma vez que ela é a responsável pela edição dos vídeos do canal Be Twins (e por fazer qualquer coisa que dê na telha das duas meninas ou de sua mãe) foi praticamente obrigada a usar Whatsapp. E não é como se usasse muito também. Seu sonho é ser escritora e expor seus textos, não sua imagem.

Para sentir uma ligação com a memória da mãe, Allegra passou a ser fã de Elvis Presley e dos anos 1950. Ela inclusive aprendeu a costurar para poder fazer suas próprias roupas <3. Isso lhe rende o apelido de pin up entre seus amigos (se você não sabe o que é isso, não perca a próxima postagem).

O livro não é longo, e os primeiro e segundo capítulos são matadores. Impossível deixar mais claro a situação de Allegra na vida. Inclusive, que gostei mais do andamento do começo da história do que do fim.

Anastásia e Drizella - Cinderela - 1950
Anastásia e Drizella
Cinderela - 1950
Os personagens são bem caracterizados. Temos as duas irmãs postiças insuportáveis e mimadas no mesmo nível de Anastásia e Drizella da versão animada de 1950. A madrasta, ao contrário, e bem mais dissimulada do que a versão Disney.

No lugar dos ratos / pássaros / cachorro, temos Paulo, um cara que faz Letras na mesma faculdade de Allegra,  e Verônica, a amiga-fiel-escudeira que com frequência tenta fazer Allegra cuidar mais dos seus objetivos em vez de ser escravizada. Verônica tem boas intenções, mas eu confesso que tinha momentos em que eu queria esgoelar aquela menina. Ela às vezes me irritava, sei lá.

E temos os três mosqueteiros, Constantin, Fred e Darta, apelido para Dartagnan (curiosidade: Dartagnan não era um dos três mosqueteiros no romance de Alexandre Dumas, heheheh). Quando você descobre  que o admirador secreto de Allegra é um deles, fica tentando descobrir quem é. Devo dizer que caí em algumas pistas falsas (poxa, Andreia! Hahahaha).

Os Três Mosqueteiros - 2004

E por fim, eu simplesmente adorei o sapato deixado para trás, não poderia ter combinado mais com a história (e com essa Cinderela), mas sem spoilers. Você vai ter de ler pra saber!

E eu provavelmente teria um treco pela forma como o príncipe dessa história resolveu devolver o sapato, por assim dizer, hahahah.

Edição e Coisas Mais
Elvis PresleyO título de cada capítulo é um verso de alguma música de Elvis que combina com os acontecimentos do capítulo. Achei esse detalhe muito, muito legal. Sério, super bem pensado. Não só faz todo sentido para uma protagonista super fã desse cantor, como é uma demonstração de carinho com a história, de ficar procurando versos e versos até encontrar um que se encaixe.

A autora deixa bem claro que tinha o objetivo de discutir um pouco padrão de beleza e representatividade. Allegra por várias vezes diz não se encaixar no padrão de beleza contemporânea por ser gorda, temos personagens negros, personagens negros que passaram por cirurgia para afinar o nariz e por aí vai.

Allegra: Antes do Play
Personagens de 
Allegra: Antes do Play
Eu entendo a importância, mas para mim tanto fazia. Eu queria mesmo era saber o que ia acontecer com eles e pronto. O que pra mim é/deveria ser o fim dessas discussões: não importa o IMC, cor da pele e blablabla, importa o caráter e o que se faz com a vida.

Aliás, falando em vida, um detalhe: NÃO façam como a maluca da Verônica. Nunca, jamais sigam uma viatura para chegar a qualquer lugar mais rápido. Nem para o hospital - se precisa correr para o hospital, precisa de ambulância, que tem sirene e aquela luz piscante para poder correr com mais segurança. A chance de você sofrer um acidente seguindo viatura é enorme e aí você só aumenta o problema e o número de pessoas a serem socorridas. Eu sei, eu sou a tia chata, mas trabalho também em pronto socorro. E a gente vê MUITA coisa dar errado.

Por fim, a formatação é super fofa, vem a ilustração de Allegra na primeira página de cada capítulo. Mas eu li no aplicativo do Kindle e essa formatação dificulta aumentar o tamanho da fonte - acaba aumentando a página toda, como um pdf. Não chega a atrapalhar muito a leitura, mas senti falta.

Allegra: Antes do Play

Você encontra o início de Allegra: Antes do Play no Wattpad.

E não deixe de visitar também o blog da autora:  Qualquer sentido






Vocês já leram esse livro? Entrou para a lista de desejados? Não percam a próxima postagem com curiosidades sobre a história!



P.S. Além das fontes já citadas, outras informações para fazer essa postagem vieram de:
- Imagem personagens de Allegra: Antes do Play - Fanpage do livro no Facebook
- Foto Elvis 
- Foto pin up 

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Adorei!
    Como é bacana ler meu livro pelos seus olhos. 💜
    Obrigada. De coração

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...