O que são Contos de Fada?

sábado, 13 de agosto de 2016


Origem dos Contos de Fada
The Miller's Daughter by Anne Anderson
The Miller's Daughter by Anne Anderson
A data de origem dos contos de fada é incerta. Há quem diga que tenham origem na cultura celta, cerca de II a.C., vindos de uma tradição de histórias passadas de boca em boca transmitidas oralmente. A princípio, os contos não eram destinados para crianças. Pelo contrário, tinham cenas voltadas para o mundo adulto, como adultério, mortes cruéis, incestos e outros assuntos parecidos. As pessoas narravam essas histórias em campos de lavoura, reuniões sociais, salas de fiar ou outros espaços de convívio dos adultos.

Alguns estudos mostram que pode ser uma origem ainda mais antiga. Um deles, publicado na Royal Society Open Science Journal, e que utilizou ferramentas semelhantes às usadas em biologia, encontrou raízes mais velhas do que II a.C. – “A Bela e a Fera” e Rumpelstiltskin teriam cerca de 4000 anos de idade. 

Porém, a partir da descoberta da infância, os contos passaram por modificações para suprirem o universo infantil e passaram a ser contados por amas, governantas e cuidadoras de crianças.

O formato como os conhecemos hoje, surgiram na Europa, principalmente Alemanha e França nos séculos XVII e XVIII.

O que são Contos de Fada?
Contos de Fada - fantasiaSão um tipo de conto popular, geralmente narrativas curtas. Utilizam-se de um conflito principal para transmitir conhecimento ou valores culturais de geração em geração.
Originalmente, não foram criados para transmitir lições como as fábulas – embora um dos escritores mais conhecidos, Perrault, coloque morais ao fim dos contos (bem na cara mesmo, no fim do conto vem escrito "Moral:"). Também são diferentes das lendas, que geralmente envolvem uma crença na veracidade dos eventos descritos, tem quem realmente acredite nelas, ou fique em dúvida se aconteceram ou não.

O que os contos de fada têm de diferente das demais histórias infantis é a presença de um universo mágico – ainda que a figura de uma fada em si nem sempre apareça. Encantamentos, animais falantes, fadas, reis, ogros e bruxas – personagens que representam o bem ou o mal. Mostram um problema existencial central de um herói ou heroína e os obstáculos que eles devem enfrentar para conseguir sua realização pessoal.

Mas no fim, as características que determinam se uma história é um conto de fadas ou não, são controversas.

Principais autores
Charles PerraultCharles Perrault foi um dos precursores na coleta dessas histórias populares. Seus contos têm uma mensagem moral clara, escrita em um apêndice ao final da história. Sua obra mais famosa foi “Os Contos da Mamãe Gansa”, de 1697, e contém os contos:
- Chapeuzinho Vermelho
- A Bela Adormecida
- Barba Azul
- O Gato de Botas
- As Fadas
- Cinderela
- O Pequeno Polegar 

Irmãos Grimm - Jacob Grimm e Wilhelm GrimmOs Irmãos Grimm (Jacob Grimm e Wilhelm Grimm), estudiosos da mitologia e da história do direito alemãos, viajaram pelo país coletando histórias. Publicaram 210 contos, divididos em 3 volumes, mais próximos da forma original, sem lições de moral explícitas como Perrault.
Hans Christian AndersenHans Christian Andersen, um poeta e novelista dinamarquês, escreveu contos diretamente para crianças em vez de adaptar contos para a realidade infantil, e é considerado o pai da literatura infantil.
Gabrielle-Suzanne Barbot - A Bela e a FeraGabrielle-Suzanne Barbot, escritora francesa, autora de “A Bela e a Fera”. Sua versão por reescrita por  Jeanne-Marie Leprince de Beaumont, que apesar de autora de mais de 70 volumes, hoje é conhecida apenas pelo conto “A Bela e a Fera.”

Andrew LangAndrew Lang, conhecido pelos “Livros Coloridos das Fadas”, uma coleção de 12 volumes – cada um diferenciado por uma cor específica (existem umas coleções lindas por aí, aliás). Um total de 437 contos de origens diversas.

Outros vários autores surgiram ao longo da história:

- Lewis Carroll com “Alice no País das Maravilhas” e “Alice do Outro Lado do Espelho”
- Carlo Collodi com “Pinóquio”
- James Berrie com “Peter Pan”
- L. Frank Baum com “O Mágico de Oz” – a quem o considere um livro de fantasia, mas não um conto de fadas.

Porém alguns críticos literários diferenciam esses últimos como contos de fada modernos, diferente dos clássicos europeus do século XVII.

No Brasil e em Portugal, surgiram por volta do final do século XIX com o nome de “Contos da Carochinha” – foram receber o título de “Contos de Fada” já no final do século XX. O autor nacional de maior destaque é Monteiro Lobato.

Curiosidade (essa é ótima): “Carochinha” significa bruxa. O que nos faz pensar que por aqui as histórias eram chamadas de "Contos de Bruxa" em vez de "Contos de Fada"...


Me conte um pouquinho nos comentários o quanto os Contos de Fada fizeram parte da sua vida (ou não).



Bibliografia


  E se você gostou da postagem, não perca nenhuma novidade:











Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...